sábado, 26 de mayo de 2012

Purmamarca...




Quiçá um dia, com a revolução, que é a evolução levada adiante com paixão, com vida. Quiçá um dia, voltemos a construir casas que não se destaquem pelo de fora, mas sim pela calidez que trazem dentro. Nestes lugares preciosos, as casitas são de barro, e se confundem com o lugar. Ah... que romântico e gostoso, me pareceu com tanta graça...
lucidor

o norte argentino....





Gosto dos povoados pequeninos, de gesto antigo, que sabem saudar ao passar um pertinho do outro, que os cachorros se reconhecem, os povoados como estes do norte argentino, em que ainda se fala em aymara, esse idioma sagrado do Tahuantinsuyu....seus ruazinhas me encantam, as degusto......como se fossem uma comida, para sentir na alma........
lucidor

...entardecer... comunhão com o sagrado....





Quando a tarde cai, é a hora de um chá espirituoso, ou de uns mates....e meditar, compartilhar o estado de ânimo da Vida, nesse momento tão especial do dia, onde os animais, as árvores e todos nos recolhemos, assim nestes paraisos andinos, a caída da tarde sobre os apus, foi tão preciosa, que hoje compartilhamos essas fotinhos, para recapturar a energia, a essencia de luz e vida, dos entardeceres.
Perder-se do entardecer, como ocorre nas cidades, é um desperdício de vida......sim, o entardecer, o amanhecer são momentos tão profundos e preciosos, que seria tão bom, ao peregrinar, utilizá-los como instantes de comunhão com o sagrado.....com o real, com a beleza sempre aberta de Pachamama...
lucidor

os morros de sete cores....




A Pachamama está plena de mistério, de graça e de abertura para compartilhar......há um romance profundo entre o peregrino e a Pacha amada. Aqui, visitamos estes morros de sete cores, onde ainda caminha a raça velha, os homens de pele canela, os seres da puna, cuidadores de llamas, e alpacas.....os irmãos da América profunda....quanta bênção recebemos ao poder ir e render nossa homenagem a Divina Pachamama, nestes lugares.........
cores, cores nos morros.......silêncio que se faz vibração e ritmo visual.....e assim, o coração vai agradecendo e vibrando nesta nave divina onde moramos...
lucidor

o manancial da viva...





Peregrinar é um arte, é um ofício sagrado...não implica só viajar, nem visitar, e tirar fotos, e dizer estive aqui, essa é a mentalidade de conquistador, ou do visitante superficial. Peregrinar é chegar com o coração vazio, com a mente sabendo algo do lugar, e com os instintos abertos, para sentir os duendes do lugar....
Purmamarca é um povoadinho, em Jujuy, província do norte argentino, que linda com a Bolivia, é autenticamente andina...tem esse cheiro, essa cor e sabor, dos Andes, me surprendeu amavelmente, sua paisagem tão plena de cores, suas casitas de barro......e seus cachorros, velhinhas, e neneis, plenos de andinidade......
ah...que beleza estar vivo e visitando estes pequenos lugares, onde ainda se sente o manancial da vida.......
lucidor

...tudo é possível!





Peregrinamos pelo ande do norte argentino, em agosto de 2011. Senti a profunda indianeidade deste lugar. Maravilhoso, sonhando com os aymaras, com o Kollasuyu....ali, ainda está o perfume da sabedoria, da ancestralidade....
uma das peregrinações mais alucinantes, me golpeou tão profundamente, me tocou no fundo do coração, a gente, as cores dos morros....os olhos bem abertos da sensibilidade.......e suas comidas, e seu amor a Pachamama......senti que na cozinha,  no amor, na vida, tudo é possível..........
lucidor

miércoles, 16 de mayo de 2012

Apu Champaqui.........





Os Apus são esses imensos Deuses tutelares, que nos iluminam com a chuva de consciência e bondade. O apu Champaqui, nas Sierras grandes de Córdoba, é um doce SER, que nos abençoa com sua mudança de cores, no entardecer.Uma noturna adivinhação tem seu corpo agrestre e mineral. Cantam os pássaros e as árvores seu amor ao Apu. Velho, antigo e sereno, nos deu seu Darshan, como um presente de luz desnuda a nossa consciência.........
Hampu Apu Champaqui!
lucidor